A criança quer brincar;

Sujar os pés na terra.

Da alegria participar;

Dar um passo que não erra.

Dentro de casa é mais difícil;

Mas um agrado é possível.

Não é preciso muito sacrifício;

Pro amor ser perceptível.

Se ainda não dá pra ajuntar,

Dá pra levar amor;

Pequenas doses soltas no ar.

O gesto estende a mão,

Mas o que mais vale;

É aquecer um coração.

Homenagem ao nosso pequeno Davi, que ao ver um menino ficar sem presentes em uma distribuição rápida no nosso estágio missionário, deu o brinquedo que trazia em mãos sem pestanejar.

--

--

Paullo Di Castro

Paullo Di Castro

Servo de Jesus, marido da Mayara, pai do Davi, Ana e Josué. Pastor, missionário, jornalista e músico, sempre com um bom café. Leia mais: meditatio.medium.com